Slide

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Qual o melhor Antivirus para Android ?




Qual o melhor Antivirus? - Matéria

Fala galera,

Li esta matéria escrita no site da CNET e achei extremamente interessante. Decidi fazer a tradução e postar pois, assim como eu, imagino que muitos ficam se perguntando qual antivírus utilizar? Quais são realmente eficazes? Vale a pena ter um antivírus instalado? Espero que suas dúvidas sejam respondidas nessa matéria.


Antes de mais nada, vale lembrar que os testes são de 2012 e abrangem apenas a ferramenta de detecção de malware, não levando em consideração outras funções dos aplicativos, consumo de bateria, etc.


Não Seja Enganado Por Aplicativos Android de Antivírus


Se você está preocupado com malwares Android, escolha sabiamente. Há uma boa chance de que seu aplicativo de segurança confiável pouco faz para protegê-lo, diz um novo relatório da organização de testes independente AV-Test.
Em uma prévia do estudo recebida por e-mail ontem, Andreas Marx, AV-Test CEO, revelou que os fornecedores de antivírus de desktop que migraram para o Android tiveram o melhor desempenho. Avast, Mirante, Dr. Web, Zoner, F-Secure, Ikarus, Kaspersky detectaram 90% ou mais dos 618 tipos de arquivos maliciosos que foram testados. Lookout e Zoner são destaques notáveis ​​pois só estão disponíveis como aplicativos móveis, e não tem contrapartida baseado em PC.


Fig.1 - Legenda de Detecção


"Usando estes produtos que você não precisa se preocupar com sua proteção contra malware", escreveu Marx. Ele também enfatizou que os aplicativos de segurança que testaram entre 65% e 90% eram muito bons e poderiam facilmente melhorar a sua detecção, pois vários aplicativos nesta categoria perderam uma ou duas famílias de malware. Estas famílias de malware podem não ser ameaças em "certos ambientes", escreveu ele, o que pode explicar as pontuações mais baixas.
Os aplicativos neste segundo grupo incluem fornecedores de antivírus para PC: AVG, BitDefender, ESET, Norton (Symantec), QuickHeal, a Trend Micro, Vipre (GFI), e Webroot, e apenas dois fornecedores móveis, AegisLab e SuperSecurity.


Fig.2 - Distribuição da Detecção


Um terceiro grupo composto inteiramente de fabricantes de PC Security Suite marcou entre 40% e 65% de detecções, e incluiu Bullguard, Comodo, G Data, McAfee, NetQin e Total Defense. O relatório explica que seus problemas com o Android também pode ser devido a infra-estrutura insuficiente de coleta de amostras - basicamente, eles podem ser muito novos para o campo.


Outros doze aplicativos detectaram mais de 0%, porém menos de 40% das amostras, e um grupo final de seis aplicações detectando nada. Embora o relatório diga que é possível que esses aplicativos detectem ameaças que não estavam entre as 618 amostras, é mais provável que eles simplesmente não funcionem. Em ordem alfabética, estes seis finalistas são Android Antivirus, Android Defender, LabMSF Antivirus beta, MobileBot Antivirus, MT Antivirus e Proteção MYAndroid Antivirus.


Fig.3 - Resultado da média de Detecção por Família de Malware


De modo geral, menos da metade dos 41 aplicativos testados durante fevereiro tiveram desempenho digno, apenas 17 deles fizeram o corte acima de 65%. O teste foi realizado usando uma combinação do SDK do Android, que reproduz um ambiente escalável, e um dispositivo Android real em situações onde o SDK não funcionaria. O SDK não seria suficiente quando o aplicativo chamado para a ativação do SMS, ou quando a rede 3G era muito sensível para fornecer uma conexão em nuvem estável. O resultado final foi que todos os resultados foram cruzados no SDK, emulando API nível 10 (Gingerbread 2,3) e em um dispositivo real, um Samsung Galaxy Tab rodando Froyo 2.2 e um Samsung Galaxy Nexus com Ice Cream Sandwich. Todos APPs foram atualizados para suas últimas versões antes do teste, e para conectar-se a nuvem durante o teste.


Fig.4 - Detecção por Família de Malware



Mas o meu aplicativo favorito é realmente inútil?

Os autores afirmam no relatório o quão desafiador é identificar corretamente o malware, ativo ameaçador no Android. No relatório, eles atribuem isso a três fatores: o número relativamente pequeno de amostras de malware, o desafio de descobrir como aplicações de malware são prevalentes, e o fato de que, problemas à parte, aplicações de malware são eliminadas muito rapidamente a partir do Android Market e também do dispositivo do próprio usuário.

Além disso, nenhum dos recursos de segurança auxiliares foram testados, tais como bloqueio remoto e wipe, opções de localização, ou backup de dados.
AV-Test conclui que é possível ter conjuntos de amostras que são facilmente marcadas por malware, mas que já não são mais ou nunca foram relevantes. Por que testar se os resultados são tão difíceis de replicar? O relatório explica que para limitar os problemas dessas variáveis, apenas as famílias de malware mais conhecidos foram usados, e somente aqueles descobertos entre agosto e dezembro de 2011.

Ao olhar para as taxas de detecção da família, AV-Test diz, "é ainda possível obter uma imagem bastante precisa da taxa de detecção absoluta." Para a detecção de malware, AV-Test recomenda qualquer um dos 17 aplicativos que terminaram acima de 65%. Ele defende o uso de um por causa da capacidade de aplicativos aparentemente benignos descarregarem malware depois de terem sido instalados.

Todos esses problemas são sintomáticos do desafio maior que a indústria de segurança tem para justificar sua existência.


Fonte da Matéria: Artigo CNET

Teste Completo: AV-Test